Censo 2010: RM de Belém tem crescimento maior nos municípios periféricos

By 09/09/2011 dezembro 12th, 2017 Artigos Científicos, Notícias

A RM de Belém alcançou 2.042.417 habitantes em 2010, o que corresponde a acréscimo de 13,7% em comparação com o início da década. Apesar do aumento, a contribuição do RMB no total da população brasileira praticamente não se alterou no período analisado, permanecendo em pouco mais de 1%. Análise do Observatório das Metrópoles mostra, ainda, que enquanto os municípios periféricos cresceram a taxas anuais de 2,3%, Belém teve crescimento anual de 0,8%.

Considerados esses recortes espaciais, tais alterações não significam aumento da urbanização, que se mantém nos patamares de 99% no núcleo e 94% na periferia. Ao se observarem os municípios periféricos isoladamente, contudo, grandes diferenças aparecem. Ananindeua, cuja população já no ano 2000 foi considerada urbana em sua totalidade, mantém o mesmo perfil. Marituba se aproximou da alocação em Belém e em Ananindeua, aumentando o contingente urbano de 87% para 99%. Benevides e Santa Bárbara do Pará têm diminuída a participação das populações urbanas nos totais municipais, de 59% para 56% e de 35% para 32%.

O comportamento demográfico tem relação com a intensa transformação em curso atualmente na ocupação e uso do solo em Belém, Ananindeua e Marituba, onde se observa aumento da verticalização e da conversão de outros usos em habitação com característica urbana. Esses fatos implicam maior demanda de políticas públicas, em especial habitação e transporte, haja vista ainda o aumento verificado no nível de integração de todos os municípios periféricos da RMB ao núcleo metropolitano.

Composição da população

Não se altera a composição da população por gênero na RMB, no núcleo e nem na periferia metropolitana, acompanhando a tendência brasileira, mas não a estadual, que teve reduzida um pouco a proporção de homens. A participação masculina é pouco menor do que a feminina na metrópole (48%) e maior na periferia (49%) em comparação com o núcleo (47%).

Tanto homens quanto mulheres são na maioria jovens e crianças, sendo ainda a contribuição desses contingentes maior na periferia do que no núcleo metropolitano, embora o processo de envelhecimento na última década tenha sido mais acentuado no conjunto dos municípios periféricos do que na RMB e bem menos intenso no município de Belém. Na metrópole, como um todo, a idade média aumentou de 27 para 31 anos, maior do que a observada para o estado do Pará, sendo maior também a variação do índice de envelhecimento, de 14% para 22,79%.

A razão de dependência dos idosos aumentou de 6,34% para 7,96%, portanto, uma variação pouco maior do que a ocorrida no estado, enquanto a razão de dependência das crianças, que diminuiu de 45,32% para 34,94% no período estudado, teve uma redução bem menos acentuada do que o conjunto dos municípios paraenses.

Acesse aqui o estudo completo.

 

Última modificação em 09-09-2011